Apaixonada Pelas Sombras - Capítulo 1

12:00


O céu estava azul e vermelho com aquela bola gigante conhecida como Sol se pondo ao mar. De repente tudo escureceu e quando pude ver novamente eu estava em um lugar completamente diferente. Não havia Sol, mas tudo tinha um tom avermelhado, como se eu estivesse em um quarto iluminado somente com luzes vermelhas, e estava um cslor infernal. Era como se eu fosse jogada dentro de uma fornalha.

A paisagem era completamente diferente. Eu agora estava olhando para um castelo feito de obsidiana. Não me pergunte como eu sei disso, simplesmente sei, como sei que a Terra é redonda. O castelo era majestoso e imenso, mas não era o elemento mais estranho do cenário. Eu estava em um tipo de jardim. Mais precisamente, o jardim desse castelo. Porém a grama não era verde como sempre, mas sim num tom escuro. Algo como uma mistura de marrom com cinza escuro, algo que nem sei se existe. Os arbustos e árvores eram feitos de metal. Algo como prata ou platina, eram muito brilhantes. E suas flores eram joias preciosas como o rubi, diamante e muitos outros. Algumas das árvores brilhosas tinham frutos, romãs para ser mais exata. Algo surreal, mas, tenho que admitir, lindo.

Então do nada a cena muda novamente, mas dessa vez não era algo belo como o jardim e o castelo, mas sim algo assustador. Eu estava agora perante um rio horrendo. Um rio de água vermelha como o sangue e que de onde subiam labaredas de fogo cheio de corpos queimando dentro desse rio. O calor ficou mais insuportável ainda que chegava a sufocar. Menos de um segundo depois eu acordei.

Olhei para o relógio e ainda eram 04:20 da manhã. Estava completamente suada e ainda sentia o calor sufocante do sonho. Forcei-me a levantar da cama e fui tomar um banho gelado para esfriar meu corpo que estava febril. Minha cabeça latejava muito como se o esforço para me acordar do pesadelo tivesse sido demais.

Isso era tudo o que eu precisava. Já não bastava hoje ser meu primeiro dia em uma escola nova na cidade nova e completamente afastada da minha, eu ainda precisava ter pesadelos e uma baita dor de cabeça.

Quando terminei o banho sabia que não voltaria a dormir. Não depois de um pesadelo tão vívido como esse. Eu nunca vira um lugar como esse, era impossível existir, mas algo me dizia exatamente o contrário.

Continua...

Talvez você goste também

0 comentários